Estomaterapia - Diretrizes para Cursos de Especialização em Estomaterapia no Brasil

No Brasil, os Cursos de Especialização em Estomaterapia devem ser referendados pelaAssociação Brasileira de Estomaterapia (SOBEST) e credenciados pelo World Council of Enterostomal Therapits (WCET).

O enfermeiro interessado em realizar pós-graduação na área de enfermagem em estomaterapia deverá consultar os cursos referendados pela SOBEST e credenciados junto ao WCET no site SOBEST.

Critérios para add refendum SOBEST para Cursos de Especialização em Estomaterapia

Para abertura de novos cursos de especialização é necessário seguir as normas educacionais vigentes no país estabelecidas pelo Ministério de Educação e Cultura, as diretrizes curriculares estabelecidas pelo World Council of Enterostomal Therapists (WCET) e orientações da SOBEST.

A carga horária mínima para Cursos de Especialização latu-senso no Brasil é de 360 horas, entretanto, os Cursos de Especialização em Estomaterapia no Brasil tem ultrapassado este limite, devido ao extenso conteúdo teórico e exigência de 50% de prática para credenciamento junto aoWCET.

A SOBEST disponibiliza uma orientação curricular para cursos de especialização e realiza Assessoria e Consultoria para as escolas que tenham interesse em implantar Cursos de Estomaterapia.

As orientações de cursos (normas de credenciamento e orientação curricular) deverão ser solicitadas para a SOBEST e os programas deverão ser aprovados de acordo com as normas vigentes de cada universidade. 

O credenciamento proposto pelo WCET tem como principal finalidade a uniformização da especialidade e, após o credenciamento inicial, os cursos passarão por processos contínuos de avaliação e análise. Os cursos credenciados receberão uma certificação internacional.

Realizar estomaterapia em escolas não credenciadas implica em perdas para o enfermeiro, uma vez que não poderá candidatar-se ao concurso para obtenção do Título de Especialista TiSOBEST, título esse concedido única e exclusivamente pela SOBEST.

Alunos egressos de cursos de estomaterapia não credenciados, passarão a ter direitos a realizar o concurso para o TiSOBEST, assim que o credenciamento seja oficializado pela SOBEST.

Exigências para add referendum SOBEST e credenciamento WCET para abertura de cursos de Estomaterapia ajustados para o Brasil.

(tradução das diretrizes do WCET por Beatriz F Alves Yamada e Vera Lucia C Gouveia Santos) site: www.wcetn.org (O texto original foi revisado pelo WCET em 17 de maio de 2000).

  1. O curso/programa deverá ser coordenado por um Enfermeiro Estomaterapeuta (TiSobest). Não havendo esta possibilidade, a instituição deverá solicitar um TiSobest consultor em estomaterapia para o desenvolvimento ou revisão do programa..
  2. O  Estomaterapeuta (TiSobest) coordenador ou consultor do curso deverá ser egresso de curso de estomaterapia referendado pela SOBEST e credenciado pelo WCET.
  3. O  Estomaterapeuta (TiSobest) coordenador ou consultor do programa deve ser membro ativo da SOBEST e do WCET.
  4. A carga horária mínima deve ter 360 horas no Brasil, sendo obrigatoriamente 50% de horas de prática
  5. O curso/programa pode ser desenvolvido em tempo integral e concentrado, parcial ou extensivo.
  6. O curso/programa deve incluir processo sistemático e contínuo de avaliações de conhecimento, tanto teórico quanto prático.
  7. O currículo do curso/programa deve incluir conteúdo de todas as áreas de abrangência da estomaterapia (estomias, feridas, fistula, tubos e incontinências), educação, pesquisa, gerenciamento da assistência e desenvolvimento profissional.
  8. O candidato ao curso/programa deve ser enfermeiro com registro para exercício profissional no Conselho Regional de Enfermagem de sua jurisdição.
  9. O curso/programa deve ser reconhecido pela SOBEST, que emitirá carta add referendum para o WCET.
  10. A relação ideal de alunos para cada supervisor de campo é de 2:1. O supervisor deve ser preferencialmente um especialista em estomaterapia.
  11. O corpo docente deve ser composto por profissionais especializados nas respectivas áreas do conteúdo programático, tais como: estomaterapia (estomias, feridas, incontinência), enfermagem, administração, aconselhamento (sexual e geral) dermatologia, gastroenterologia, assistência domiciliar, casa de repouso, cuidados paliativos, nutrição, oncologia, farmácia, cirurgia (coloproctologista, ginecologistas, vasculares, plásticos e urologistas); radiologia, fisiatria, fisioterapia, psicologia, assistência social etc.
  12. Os alunos devem ter a oportunidade de conhecer todos os produtos disponíveis no país para a assistência em estomaterapia nas áreas de feridas, incontinência e estomias.
  13. Os alunos devem ser encorajados a filiar-se a SOBEST e WCET como membros associados, no decorrer do curso, e como membros plenos após a conclusão do mesmo.
  14. Quando o curso/programa estiver sendo implantado pela primeira vez, poderá ser solicitado tutor da SOBEST.
  15. O coordenador do curso/programa deverá exigir certificado de proficiência na língua portuguesa dos alunos oriundos de países que não falam português.
  16. Os livros textos e material de referências devem se atualizados a cada nova turma.

Os interessados em desenvolver um curso/programa de Educação em estomaterapia ou adequar um curso/programa que já existente para o reconhecimento do WCET, devem entrar em contato com a SOBEST através do endereço eletrônico: presidente@sobest.com.br .

Todos os programas serão revisados a cada quatro anos pela SOBEST e Comitê de Educação do WCET, a fim de assegurar o cumprimento das diretrizes estabelecidas.

Recomendações

  1. recomendamos que a exigência para ingresso no curso seja de no mínimo 2 anos de graduação em enfermagem.
  2. os critérios para ingresso no curso fica à critério da coordenação. Sugerimos minimamente a avaliação de curriculum e, se necessário, prova escrita e entrevista dos candidatos.
  3. os critérios de aprovação no curso ficam à critério das normas da universidade, mas deverá ser exigido a apresentação de um trabalho de conclusão de curso (TCC) com apresentação pública e avaliação por uma banca de no mínimo 2 especialistas.   
  4. a carga horária prevista de orientação do TCC deverá ser somada às da teoria e prática.
  5. sugerimos que o número de vagas oferecidas seja em média 20, para garantia da relação  professor/aluno exigida nas atividades práticas.

Comissão add referendum SOBEST

Este Comissão é composta pelo Presidente da SOBEST e por Enfermeiros Estomaterapeutas Coordenadores de Cursos de Estomaterapia referendados pela SOBEST ou designados pelo presidente e terá por funções:

  1. Receber e analisar as solicitações de novos Cursos de Especialização em Estomaterapia. O processo deverá ser analisado por 2 membros da comissão.
  2. Avaliar a existência de cursos já estabelecidos e referendados na mesma região e a possibilidade de prejuízo de demanda de alunos do mesmo com a criação de outro.   
  3. Discutir as solicitações com os demais membros desta comissão e com os solicitantes do curso e, se necessário, levar para avaliação e votação pela Comissão Executiva da SOBEST.
  4. Encaminhar as diretrizes do WCET e propostas curriculares da SOBEST.
  5. Solicitar o encaminhamento do programa teórico e prático do curso com os respectivos coordenadores e docentes, bem como suas titulações.
  6. Solicitar o encaminhamento dos locais das aulas práticas e a grade de horários com a relação instrutor/aluno.
  7. Toda documentação deverá ser enviada por e-mail em arquivo com extensão pdf parapresidente@sobest.com.br , devendo constar: a grade curricular teórica e prática, dia e horário de oferecimento do curso, carga horária total do curso, número de aulas teóricas e práticas por módulo, local de realização das aulas práticas, titulação dos coordenadores e docentes.   
  8. Garantir a resolução de dúvidas através de informações eletrônicas ou através de telefone.
  9. Agilizar o processo de add referendum SOBEST.  Os avaliadores terão 30 dias para o parecer à partir da data de entrega da documentação exigida. 
  10. Visitar a universidade para auxiliar a estruturação do curso, se necessário.
  11. Emitir a carta add referendum SOBEST em português e inglês, encaminhando para a universidade.
  12. Orientar os coordenadores do novo curso de especialização sobre a documentação exigida para o credenciamento junto ao WCET.

Atualizado em 04 de agosto de 2009 por Suely Rodrigues Thuler e Sônia Regina Pérez Evangelista Dantas

Área do Associado